Make your own free website on Tripod.com
Web Swimming Brasil   by Michel Vilche
 

Aminoácidos de Cadeia Ramificada BCAA

Atualmente diversos estudos sobre a suplementação de aminoácidos de cadeia ramificada (BCAA) nos tem feito perceber a importância desses aminoácidos na performance dos esportistas em geral.

OS BCAA podem ser um dos suplementos mais benéficos para atletas de resistência.

São três aminoácidos: leucina, isoleucina e valina e são encontrados principalmente em proteína animal. São considerados essenciais porque o organismo não pode sintetiza-los e deve ser adquiridos pela dieta.

Os aminoácidos de cadeia ramificada (BCAA) estão na proporção de 15-20% nas proteínas do músculo. São responsáveis por ate 16% do fornecimento de energia para o músculo. Enquanto os demais aminoácidos são metabolizados no fígado ,eles são oxidados nos músculos periféricos.

Em mais de 10 anos , observou-se em estudos que os BCAAs são utilizados em maior quantidade durante a atividade física.

Os BCAAs agem como fonte de combustível quando os estoques de glicogênio estão baixos, mantém o balanço de nitrogênio prevenindo o estado de catabolismo ocasionado pelo excesso de treino. Esses aminoácidos são liberados na circulação sangüínea pelo fígado durante a atividade física, atingindo a musculatura exercitada. São metabolizados diretamente nos músculos.

Os BCAAs participam do processo de geração de energia nas atividades físicas, principalmente as de longa duração evitando a fadiga central., pois recentemente descobriu-se que os processos de fadiga podem ter origem periférica e/ou central. Os mecanismos de fadiga periférica esta relacionado com os grupos musculares envolvidos, sendo que esta fadiga pode acontecer pela depleção de fosfágenos (ATP/CP) e de glicogênio muscular.

A fadiga central esta ligada ao sistema nervoso central (SNC) que pode ocorrer pela queda da concentração de glicose plasmática (hipoglicemia) e pelo aumento da serotonina, um neurotransmissor responsável pelas sensações de sonolência, no SNC, devido o aumento de captação do triptofano, que é precursor da serotonina. Este aumento pode estar relacionada à uma diminuição de aminoácidos de cadeia ramificada (BCAA), pois eles competem com o triptofano pelo mesmo sistema transportador e por uma elevação plasmática de ácidos graxos livres que podem estar complexados à albumina competindo, então pelos mesmos sistemas de ligação dessas moléculas.

Estudos recentes verificaram que a concentração plasmática de triptofano aumenta e a de BCAAs manteve-se inalterada em uma situação de exercício prolongado com uma dieta baixa de carboidratos, aumentando a ralação triptofano/BCAA.

Pesquisas sugerem que completando a dieta do atleta com BCAA ajuda a prevenir a queda do desempenho durante o exercício prolongado e também, por isso , devido a competição na absorção não se deve suplementar BCAAs junto ao Triptofano.

Estudos demonstraram, também, a relação entre a suplementação dos BCAAs com o aumento do glicogênio muscular, o qual aumentaria a concentração de glicogênio no músculo. Com a diminuição do transporte de glicose para o interior da célula, retarda o consumo de glicogênio muscular e a acidose metabólica, causadores da fadiga e com isso havendo a oxidação dos ácidos graxos livres durante o exercício físico retardando o acúmulo de lactato sangüíneo e muscular (causadores da fadiga muscular). Esses dados enfatizam a importância dos carboidratos associado a uma suplementação de BCAAs na dieta para manter um nível ótimo desses aminoácidos.

Os BCAAs podem reduzir ou limitar o catabolismo protéico, sua suplementação parece estimular a secreção de insulina, para isso sugere-se que a síntese de proteína atribuída ao uso do BCAA resulta do efeito da leucina de promover a secreção de insulina que é o ativador do anabolismo direto no processo de síntese de proteínas musculares.

Foi mostrado que os BCAAs podem suprimir o uso de outros aminoácidos para geração de energia durante o exercício prolongado evitando assim o catabolismo protéico durante as atividades extenuantes, com isso, preservando a massa muscular e evitando suas conseqüências indesejáveis.

Melhora a conversão de Glutamina em Alanina , aminoácido importante na manutenção da glicose sangüínea.

Outra função importante dos BCAAs é o diminuição do tempo de recuperação das micro-lesões resultantes do esforço físico, como também evitando-as. Com isso, fazendo com que o músculo esteja recuperado mais rapidamente, resultando na melhora da performance e dos resultados.

Fontes de BCAAs:

São encontrados BCAAs em todas fontes de proteínas animal. Os produtos derivados do leite contem grande quantidades deles mas atualmente a proteína isolada do soro do leite (WHEY PROTEIN) é uma das fontes mais ricas de BCAAs. As proteínas animais e o WHEY PROTEIN contem respectivamente 15 e 30% de BCAAs.

Encontra-se também nos suplementos na forma isolada ou associado Os suplementos de aminoácidos apresentam como vantagem a absorção mais rápida do que os de proteínas , pois não precisam sofrer digestão porque encontram-se na sua forma livre.

Hoje encontra-se à disposição uma variada gama de suplementos a base de aminoácidos.

Modo de usar:

Pelo fato do BCAAs serem um poderoso estimulador da produção de insulina que pode causar a hipoglicemia (retirada rápida da glicose circulante causando queda na performance), aconselha-se evitar o consumo imediatamente antes do treino.

Usualmente recomenda-se a ingestão de BCAAs até uma hora antes do treino e até duas horas após.

 

Prof. Michel Vilche

 


 

Apresentação   •  Dicas  •  Downloads  •  Entrevistas  •  Informativos
Curiosidades  •  Pesquisas  •  Prof. Michel Vilche  •  Contato

 

Copyright © 1997-2008 Web Swimming - by Michel Vilche - Todos os Direitos Reservados
Entre em Contato HOME